Quinta-feira, 8 de Março de 2007

Entrevista com um antigo escuteiro

Entrevista a antigo escuteiro

 

Nome: João Manuel de Sousa Dória

Idade: 57

Profissão: Reformado

 

1.Quando entrou para o escutismo? Com que idade?

R.: Foi em 1954. Com 5 anos, embora nessa altura só se pudesse entrar na secção dos lobitos com 10 anos, fui aceite como “mascote” dos caminheiros.

 

2. O que levou a entrar para o Escutismo?

R.: A influencia de membros familiares escutistas (tios).

 

3.Qual a secção em que gostou mais de estar?

R.: Lobitos. Porque foi a secção onde mais me senti acarinhado, mais brincadeiras tive e assim como foi nesta secção que mais aprendi sobre o escutismo pois nunca mais se esquece.

 

4.Quais as principais diferenças que notou entre as diferentes secções?

R.: Todas as secções são diferentes, mas todas têm a mesma finalidade: praticar o escutismo.

 

5.O que é que o marcou mais nos caminheiros?

R.: A união dos poucos caminheiros que havia.

                     

6. Qual a actividade dos caminheiros que mais gostou?

R.: Durante o tempo que estive no escutismo foram várias, como caminheiro não tive nenhuma, visto que, para alem de sermos poucos caminheiros, nós nem tínhamos sede para reunir nem condições para fazer actividades de caminheiros. Foi uma época bastante complicada para o escutismo da Covilhã.

 

 

7.Quais são as principais diferenças que pensa existir entre a vivência do escutismo do seu tempo e o de agora?

R.: A vivência do escutismo do meu tempo e o de agora julgo que será praticamente igual nas suas bases, só que no meu tempo havia muito mais actividades, todos os Domingos saiamos fardados à missa, havia muito trabalho de campo e mais os acampamentos eram mais frequentes.

 

8.Como era a relação entre os chefes e o clã? E entre o clã e o resto do agrupamento?

R.: A relação entre chefes, clã e o resto do agrupamento sempre foram boas, havia sempre pequenas quesilhas que se resolviam facilmente, mas no geral eram boas.

 

9.De que modo o agrupamento participava na vida religiosa? Acha que a participação diminuiu?

R.: O agrupamento participava na vida religiosa como o faz agora, estando presente em procissões, veladas, ect…A única diferença é que, todos os Domingos, estávamos presentes para a missa.

 

10. Por que razão deixou o escutismo?

R.: Nunca deixei de ser escuteiro, apenas me afastei o que hoje lamento muito. O que levou a esse afastamento foi pelo motivo de não haver sede para as reuniões, sem sede não havia reuniões e sem reuniões não havia actividades e quando finalmente tivemos sede, foi quando eu me casei, vindo depois a tropa e o ultramar. Voltei mais tarde como um dos elementos fundador da Fatarnidade Nuno Alvares Pereira, que presentemente também não frequento por motivo de doença.

Aqui está um bom exemplo a seguir....

By Xummy

 

publicado por Equipa de Animação às 20:04
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.CESE

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket Email:pamr@ubi.pt com

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. As Insígnias...

. Venda de Natal do Agrupam...

. Festa / Almoço de Natal d...

. Reunião de Direcção

. Já tem uns anitos !

. Encontro Nacional de Cent...

. As novidades da IIIª

. Quase,quase....

. Um Regresso e Uma Despedi...

. São Jorge

.arquivos

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.links

.As nossas fotos

.Piadas ao minuto

.Visitas

Free Counter
Free Web